Não estou para falar de amor, se ele ainda não dói, nem rói e nem pede flor. Não há flores na minha poesia, pois as arrancadas são mortas, são decoração de sepultura e meu poema é heresia. Conheço esse tal de amor, não encontrei deus algum e amor e deus até podem ser compatíveis mas não dependem um do outro. O único ponto em comum: eles não são invencíveis. Não falarei de coisas que desconheço, pois o meu apreço é pelo amor que sinto e não devo a uma criatura que o senso comum insinua e minha cabeça não atura. Minha escrita é a riqueza que colho do meu presente, mesmo que seja inventado, pois poeta mente, mas não se faz ausente e eu não vivo de passado nem me dedico à tristeza. Só quando fico parado. Grito contra o que abomino e não suporto determinismo. Minha ferramenta é o poema e meu alvo é o sistema. Sou tipo existencialista, meio insano meio analista, falso moralista, talvez sartreano. Tenho a marca da história, todo gaúcho é artista e sou pampeano com muita honra e glória. Sou amigo da filosofia e esta não é feita de fadas nem gnomos e crenças, nem de almas penadas ou universais desavenças. Eu vim aqui escrever poesia e isso para mim não é só brincadeira, pois no fim o que consome energia é o abre e fecha da porta da geladeira

todo dia morrer

todo dia morrer
quando pequeno
corria detrás do trem
sou homem velho
já não me convém
certas vezes eu ando
☘️☘️ no encalço da sorte☘️
certas vezes eu sento
💀💀💀 no descanso da morte
🐓 quando canto
eu invento
eu aprendo
☠️ todo dia morrer
certas vezes eu ando
☘️☘️ no encalço da sorte☘️
certas vezes eu sento
💀💀💀 no descanso da morte
sempre digo
o que não entendem
nos remotos espelhos
de olhos vermelhos
certas vezes meus ventos
🌪️🌪️ fazem rodamoinhos🌪️
certas vezes vou lento
🐌 🐌 eu arrasto caminhos
🐓 quando canto
eu invento
eu aprendo
☠️ todo dia morrer
certas vezes meus ventos
🌪️🌪️ fazem rodamoinhos🌪️
certas vezes vou lento
🐌 🐌 eu arrasto caminhos
conheço tantos lugares
já sei ir sem sapatos🐾👟
conheço a rota dos ares
sei saltar oceanos
sei tocar tua mente
e sei abrir um buraco🤯
👍 certas vezes inteligente
👎 certas vezes simulacro
🐓 quando canto
eu invento
eu aprendo
☠️ todo dia morrer
certas vezes
🐓 quando canto
eu invento
eu aprendo
☠️ ☠️☠️ todo dia morrer
sacharuk


a cobra comeu o richard

a cobra comeu o richard

richard mandou matar boto
dormiu com tamanduá
a cobra comeu o richard
no sertão da Paraíba

richard vai abajo
richard vai arriba
richard fez cara de louco
e até comeu um preá

richard é ecologista
richard é natural
richard enche de beijjos
a cabeça do animal

richard mandou matar boto
dormiu com tamanduá
a cobra comeu o richard
no sertão da Paraíba

richard vai abajo
richard vai arriba
a cobra comeu o richard
no sertão da Paraíba

sacharuk


seriema

seriema

canta bonito
seriema avoada
daqui te ouço
flauteando a toada
dos versos compridos

aninha-te em meu peito
árido dolorido
chão de cerrado
daqui te vejo
espectro refletido
do meu firmamento

canta bonito
seriema avoada
anuncia chuvarada
percutindo lamentos
em frases rasgadas

daqui te sinto
esvoaçando ao ventos
desenhando pegadas
no infinito

sacharuk


dos dias imprecisos



dos dias imprecisos

Dei as costas para o dia para que a luz ainda não tocasse meus olhos cansados. Então, me abraçaste e sentiste nas mãos o calor do sol tatuado nas minhas costelas.

Apenas dançaste, sutilmente embalada pelo vento que batia.


Nadaste nos próprios sonhos quando me ouviste falar baixinho. E meu brinco tilintou nos teus dentes que sorriam divertidos, perfazendo longínquos sinos metálicos.

Apenas bailarinaste, tão célebre quanto louca, sobre o meu umbigo.

Meus dedos frios curaram tuas dores. Beijaste-os com carinho e leste na minha testa as tantas histórias dos dias imprecisos.

Assim aprendi a chover no tempo dos amores líquidos.

sacharuk


Cárcere Curitiba 9

Cárcere Curitiba 9

Calamar Cachaceiro condiz com conhecida criatura cuja competência consegue confundir companheiros cumunistas cujas cabeças cheias com cocô colocam criaturas contra criaturas conduzindo cizânia. Cada companheiro comunga com corrupção conduzida com chefe Calamar, compram camisetas com cara criatura carniceira chamada Che, consideram Cuba como continente cujo cumunismo colabora com cidadania... Companheiros concordam com cada coisa cabeluda conduzida com consciência cega, com cara constituída como cedro. Cumunistas conferem com criaturas cujos cérebros confundem com cus. 

Conforme célebre comandante crime corrupção continental chegou cadeia curitibana, conduzido com carcereiros cobertos com coletes contra cravejamento, cara companheira Cusângela comandava carreata colando cartazes contra confinamento. Centenas companheiros cumunistas cooperavam com Cusângela caminhando centro cidade Curitiba clamando contra condução coercitiva, contra condenação chefe Calamar, contra colocação caneleira circuitada, contra causídicos cujas condenações colocaram Calamar Cachaceiro confinado cadeia. 

Calamar chamou:

- carcerero, carcerero, compareça cá. Calamar carece conversar!

- calminha, Calamar. Certamente convém carcereiro conversar com Calamar Cachaceiro, conforme Calamar contribuir com cédulas. 

- certo, carcerero, conta cédulas. Calamar, com coração caridoso cultiva costume colaborar com cidadãos carentes, colabora com caros carcereros colocando centenas cédulas cofrinho. Carcerero conseguirá colocar crianças colégio competente, comprará carro com centenas cavalos, comprará calças couro com chapéu conforme cantores caganejo... contudo, colaboração consiste com carcerero cooperar com casamento Calamar Cachaceiro.

-claro, Calamar. Como carcereiro consegue contribuir?

- carcerero chama Cusângela comparecer cadeia curitibana. Calamar carece casar com Cusângela, contudo, carece confirmar casamento. 

Carcerero contribuirá comprando carne, como condição chamuscar churrasco, comprará champanha, cerveja, canapés, comprará colchão com cobertores.  Calamar com cacete caído, contudo carece consolidar casamento comendo Cusângela. Carece carcerero comprar comprimidos com cor celeste! 

sacharuk