Não estou para falar de amor, se ele ainda não dói, nem rói e nem pede flor. Não há flores na minha poesia, pois as arrancadas são mortas, são decoração de sepultura e meu poema é heresia. Conheço esse tal de amor, não encontrei deus algum e amor e deus até podem ser compatíveis mas não dependem um do outro. O único ponto em comum: eles não são invencíveis. Não falarei de coisas que desconheço, pois o meu apreço é pelo amor que sinto e não devo a uma criatura que o senso comum insinua e minha cabeça não atura. Minha escrita é a riqueza que colho do meu presente, mesmo que seja inventado, pois poeta mente, mas não se faz ausente e eu não vivo de passado nem me dedico à tristeza. Só quando fico parado. Grito contra o que abomino e não suporto determinismo. Minha ferramenta é o poema e meu alvo é o sistema. Sou tipo existencialista, meio insano meio analista, falso moralista, talvez sartreano. Tenho a marca da história, todo gaúcho é artista e sou pampeano com muita honra e glória. Sou amigo da filosofia e esta não é feita de fadas nem gnomos e crenças, nem de almas penadas ou universais desavenças. Eu vim aqui escrever poesia e isso para mim não é só brincadeira, pois no fim o que consome energia é o abre e fecha da porta da geladeira

Deixei de poupar energia



Deixei de poupar energia

Sabes da luz
que apagaste em mim?
Pois é... acendi novamente

dispenso a penumbra
das maquinações imundas
e por fim
sou um poeta diferente

sabes da luz?
pois é... acendi

deixei de poupar energia
pago a conta com a poesia
que ainda eu não escrevi

wasil sacharuk

O beijo do súdito

O beijo do súdito

suavium 
o beijo
da ágil serpente 
nos lábios
da fêmea indelicada

cerimonial sem decoro
pétalas orvalhadas
tensão projetada
sobre os joelhos

a mão que doma
subjuga
pelos cabelos
surra de aromas
mistura fluida
de desvelos.

wasil sacharuk


quando escolheste a dor

quando escolheste a dor

me libertes
se a vida verter
pela última vez
nave sem rumo
te levo com gosto

o mais bendito
rasgo na pele
meus dentes
minhas marcas
minhas garras
perfuram teus olhos

plantei na tua fronte
sementes de escuta
e de sentidos
para germinar
minha sina

agora desfalecida
vejas o que fizemos
quando escolheste a dor

ofertas a garganta
tuas vísceras
não foges
da tua desgraça

nua tu danças
sobre a cadeira
teus pulsos abertos
me pingam na boca

e logo te tenho
inerte e livre

inerte e livre

livre

sacharuk
Japanese actress Asami

Cascata cachos graúna

Cascata cachos graúna

meu amor sempre fala das horas
conduz meus dedos pelos bancos
de areias brancas
sutileza
suave textura

despenca cascata
cachos graúna
nas minhas coxas
ouço comovido 
murmúrios de encantos
numa língua insana 
de outro planeta

meu amor desprende 
poeira radioativa
das suas dunas
enquanto colhe maçãs inglesas 
pelo parque

mas o que eu mais gosto
e gosto muito mesmo
é quando meu amor
me escreve em poesia.

wasil sacharuk

Carbonos coloridos

comandante chegou com camburão cujas criaturas com capacetes continham carabinas. Cão cheirador chegou crispado. Chegaram chutando cadeiras, conferindo coisas, cara cara com Catilinas. Cão cheirou cozinha, cheirou copa, cheirou congelador com carne cozida congelada, cheirou cama, carpete. Catilinas, conquanto calado, continuava calmo. Cão cheirou coisa coberta com cobertor. Comandante conferiu. Catilinas conduzido cadeia central. Certamente conseguira condenação. Caiu com caixinha contendo cinco centigramas carbonos coloridos.


Carbonos coloridos

Cada canalhice
conduz consequência
converte castigo

conheci cada cristo
cada capeta
cada canhestro
com carinha contente
com consciência certinha

Cada canalhice
conduz consequência
converte castigo

conheci cafajestes
comungados com crentes
com coxinhas
capitalistas
conquanto comunistas
comiam criancinhas

canto certas coisas
com coração cortado
chamuscando cabeça
com carbonos coloridos
com carinhos
civilmente condenados

Cada canalhice
conduz consequência
converte castigo.

wasil sacharuk


sacharuk tem o apoio de INSPIRATURAS escrita criativa

último arcano

último arcano mais uma dose de fé uma dose de fel dose de céu de ré de dó dose de sorte uma dose de morte mais uma dose de...