não estou para falar de amor se ele ainda não dói, nem rói, nem pede flor. Não há flores na minha poesia, as arrancadas são mortas, são decoração de sepultura. Meu poema é heresia. Conheço esse tal de amor, não encontrei deus algum e amor e deus até podem ser compatíveis mas não dependem um do outro, o único ponto em comum: eles não são invencíveis. Não falarei de coisas que desconheço, pois o meu apreço é pelo amor que sinto e não devo a uma criatura que o senso comum insinua e minha cabeça não atura. Minha escrita é a riqueza que colho do meu presente, mesmo que seja inventado, pois poeta mente, mas não se faz ausente, e eu não vivo de passado nem me dedico à tristeza, só quando fico parado. Grito contra o que abomino e não suporto determinismo. Minha ferramenta é o poema e meu alvo é o sistema. Sou tipo existencialista meio insano, meio analista, falso moralista, talvez sartreano. Tenho a marca da história. Todo gaúcho é artista e sou pampeano com muita honra e glória. Sou amigo da filosofia e esta não é feita de fadas, nem gnomos e crenças,nem de almas penadas ou universais desavenças. Eu vim aqui escrever poesia e isso para mim não é só brincadeira, pois no fim, o que consome energia é o abre e fecha da porta da geladeira.

sacharuk escreve em inspiraturas.org

as mulheres que te habitam

as mulheres que te habitam

quero deitar com essas mulheres
que habitam dentro de ti

com aquela feita de essência
de fé de cura e doença
também com a mulher inteireza
de alma de corpo e beleza
e ainda com a mulher verdade
de humor de desejo e vontades

mas quero deitar todo dia
com a mulher da fatal poesia

sacharuk

Art by Elena Markova

desmantelada

desmantelada

era eu dura pedra
ao pó desmantelada
pelo crivo da tua vontade
eis que o desejo persiste
teu signo na pele tatuada
ao toque das tuas digitais

minh'alma resiste marcada
meu âmago ninguém toca mais
meu gozo quer tua completude
ainda são teus os meus ais

sacharuk

painting by Lilian Patrice

banquete

banquete

um demônio espreita-te
estende o olhar agudo
deseja tuas entranhas

afasta pernas e braços
disposto a devorar-te
até que se locuplete
teus pedaços
servem o seu banquete
teus fluidos
são sua bebida

tua boca entreaberta
gargalha atrevida
e a criatura penetra
assusta e testa
a presa entorpecida

agora tu tão repleta
já não tem mais saída
porém isso não importa
pois novamente ele acerta
fazer tudo o que gostas

sacharuk

The nightmare - Henry Fuseli


haicai#3🦅

haicai#3🦅

o tempo é réu
desse deserto de ter
outra despedida


sacharuk




haicai#2🦅

haicai#2🦅

todos os anos
a gratidão ao outono
livre recriação


sacharuk



manufatura

manufatura

amarra teu cadarço
fecha tua gaveta
preserva teu cabaço
esfria tua cabeça

conjuga teu plural
penteia teus cabelos
melhora teu visual
apara teus pelos

aperta o teu nó
fecha tua braguilha
respeita tua avó
segura tua filha

protege tua raça
lava teus pratos
veste tua calça
calça teus sapatos

impõe teu gênero
esconde teu complexo
destila teu veneno
politicamente correto

sacharuk



até que fura

até que fura

o lábio que expele
a água mole
a boca que engole
a pedra dura
o pingo que cai
de dentro para fora
o choro que sai
doloroso com fúria
a noite que vai
irrompe a aurora
quando o corpo é açoite
das gotas da chuva

sacharuk



anahata dissonante

anahata dissonante

no centro do peito
a bolha inflada
júpiter abandonado
pedaços espalhados
tal solitários escombros
desprendidos das asas
da ternura

com devoção
graciosos demônios 
habitam os ombros
renunciam ao tempo de agruras
que cala a voz do coração

sacharuk 

Anahata Painting by Pascal Roy

🌹 sexy floral 💐


🌹 sexy floral 💐

menina linda inspira
e venta brisa do mar
para assaltar os seus poros
juro que não é mentira
o que eu quero cantar
cá nesses versos canoros🎵

menina linda tatua
uma nuvem carregada
enquanto chove lá fora
e ao espelho ela pinta
beiço vermelho de amora 💋
mestre na arte das tintas
encantadora encantada

menina linda visita
os animais no quintal
para tanger as galinhas 🐔🐤
e logo apara o jardim
veste o sexy floral
depois procura por mim
no terreiro do vizinho
na laranjeira o pardal
um dia desses fez ninho

menina linda é linda
por isso é tão amostrada
e se ela vive sozinha
quero que deite comigo
na minha rede cheirosa
eu quero ver a sua linha
que desce desde o umbigo
até achar sua rosa

menina linda inspira
a noite inteira provar
os sonhos deliciosos
juro que não é mentira
o que então quis cantar
cá nesses versos canoros🎵

sacharuk



toada

toada

ela dança a toada
regada de orvalho
supre a sede da vida
num tapete vermelho
tremeluz pelo espaço
ondeia suas fitas
exibe seus passos
e a saia de chita

sacharuk

fotografia: Alessandro Lombardo


da diversidade das coisas

da diversidade das coisas

sapos são pequenos seres
de natureza inexplicável
cada qual com sua loucura
desejam ser entendidos
porém ninguém se perturba

cada sapo coaxa uma coisa
ostenta uma língua diferente
diz poesia de cores dispersas
já não fazem sapos tão ébrios
como eram os de antigamente
pela rua ocultos nas moitas
recitavam seus versos à lua

sacharuk



triângulo das flores

triângulo das flores

no triângulo das flores
enigmas assentam os vértices
o sim o não o talvez
esculpem silencioso sorriso
que ora ilumina as coisas
pelas quais tanto esperaste
virada de costas ao sol

sacharuk



horizonte

horizonte

a terra repousa o céu
no limite de uma linha
longe do olhar do mal
lá semeaste o amor
onde ninguém o percebe
e agora podes regá-lo
sob as cortinas abertas
do firmamento
num desenho de papel

sacharuk

Mr. Reiner Art site


tocaia

tocaia

aquilo que te denuncia
sempre amanhece à espreita
ainda que possa servir
à tirania da tua mordaça
fareja esconde suspeita
nega destrói e rechaça
te estuda tal inimigo
te percebe às avessas
aponta setas
enquanto corres perigo

sacharuk


no dia que entrar a lua cheia

no dia que entrar a lua cheia

permitam-se as borboletas
pousarem nas flores que germino
um sabor desprende da atmosfera
no dia que entrar a lua cheia

riscarei um círculo na areia
não olharei para o relógio
danem-se os danos do tempo
beberei da sutil fragrância
tocada no curso dos ventos
e as nuvens enfileiradas
fundirão suas bordas
formas traçadas de encantamento

no desapego das horas
então deitarei sob o plátano
para escutar um poema
bem dito no bico dos pássaros
a música envolverá o espaço
atrito das ondas na laguna

e se chuva derramar-se plena
percorrerá os cabelos da menina
despencará sobre os ombros
inundará o corpo de essências

sacharuk



fogata de outono

fogata de outono

a noite insinua
acordo de poesia
no calendário de outono

estampa a lua
amplo contorno
dançam meus dedos
perdidos em tua órbita

a língua te fala
exótica fonética
vibrações em teu centro
invade teu templo
até que faças chover
sobre mim

orgasma-te
faz estrelar
meu céu escuro

sacharuk

Cunnilingus by Tobias Diedrichsen


amores líquidos🎼🎻

amores líquidos🎼🎻

amores líquidos
sabem ouvir silêncios
são cera que percorre
as cordas dos violinos
derramam seu opus
sobre as águas turvas

amores líquidos
desafiam a secura
que parece os corpos
não temem a chuva
que alastra em ondas
de tantos capítulos

amores líquidos
donos da própria vontade
fluem mares indômitos
na corrente da liberdade
emergem à superfície
para beber poesia

amores líquidos
banhados nas mágoas
onde se juntam as águas
onde não há calmaria

sacharuk

fotografia por Ellen Cuylaerts